Atualizado em: 24 fevereiro 2011

Google pede à Suíça, fim das restrições ao Street View

goospy

A Google, nesta quinta-feira (24), pediu a um tribunal suíço para levantar as restrições ao seu serviço Street View, que há mais de um ano o impedem de atualizar suas populares imagens feitas da mesma perspectiva de um pedestre.

publicidade:

As leis rígidas de privacidade têm sido um obstáculo para a empresa de Internet em sua tentativa de apresentar uma visão global de ruas e edifícios do mundo.

Advogados da Google, disseram ao Tribunal Administrativo Federal, em Berna, que o Street View é comparável a serviços oferecidos por seus rivais e que a proteção da privacidade é garantida pela tecnologia que automaticamente borra rostos e placas, impedindo sua identificação.

Hanspeter Thuer, curador suíço de proteção de dados, disse o contrário.

Através de uma versão ao vivo do Street View, mostrou exemplos em que o programa conseguiu assegurar que os rostos de crianças e adultos fossem revelados, na calçada em frente ao tribunal ou mesmo na privacidade do lar.

“Eu não quero proibir o Google Street View”, disse Thuer, “mas no seu formato atual, o Google Street View viola princípios fundamentais da privacidade”.

A empresa tem enfrentado problemas semelhantes em vários dos 27 países onde o Street View está disponível, incluindo os EUA e a Alemanha. Em Israel, as autoridades expressaram temor de que que seja usado para fins de terrorismo e ordenou que o Google modifique o serviço.

Thuer quer que o Google garanta que todos os rostos e placas de veículos sejam cobertos, mesmo que manualmente.

Ele também exigiu que não se capture imagens de jardins privados e instalações, tais como escolas, hospitais e abrigos para mulheres.

Os advogados da Google responderam que a empresa está constantemente trabalhando no aprimoramento de tecnologias, e que as imagens do Street View são triviais e de qualidade insuficiente para permitir a identificação de pessoas cuja privacidade fosse violada.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook