Atualizado em: 14 julho 2011

Fusão entre Pão de Açúcar e Carrefour - Informações

Saiba tudo sobre a proposta de fusão de ativos do Brasil apresentada pela Companhia Brasileira de Distribuição (CBD) ao Grupo Carrefour no dia 27 de junho.

CarrefourFoi anunciado pelo Grupo francês Carrefour na ultima terça-feira o recebimento da proposta de fusão dos ativos nacionais do grupo com a Companhia Brasileira de Distribuição (CBD). A CBD atualmente agrega as lojas Pão de Açúcar, Compre Bem e Extra e, caso a fusão seja de fato concretizada as duas empresas constituirão o maior grupo de varejo do Brasil. A proposta foi feita no dia 27 de junho pela Gama, empresa brasileira do fundo BTG Pactual e contará com o apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Com a fusão a empresa brasileira Gama se tornaria uma grande acionista do grupo Carrefour, que ocupa a segunda posição no ranking mundial do setor de distribuição, e teria uma participação estimada de 18% em seu capital. Mas o maior beneficiado com a fusão ainda seria o grupo francês, que tem resultados decepcionantes no Brasil e ainda perdeu no ano passado a liderança no setor de alimentos para a própria CBD.

publicidade:

Sendo assim, a fusão proposta pela CBD implicaria na redução de custos dos produtos em paralelo ao grande potencial de venda da nova entidade, o que ajudaria a melhorar a rentabilidade do grupo Carrefour no mercado. O grupo deve reunir nos próximos dias um Conselho Administrativo para analisar a fundo a proposta apresentada pela CBD e posteriormente irá anunciar sua posição quanto à proposta.

Dinheiro Público

Pão de AçúcarA utilização de dinheiro público para a concretização da fusão entre os grupos ainda é bastante debatida e questionada. Há a possibilidade de que o BNDES empreste cerca de R$4,6 bilhões para que a operação se concretize, o que está provocando grandes controvérsias no Senado. A operação foi criticada por alguns parlamentares da oposição e houve até sugestão de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigação dos negócios relacionados ao BNDES.

Dentre as acusações elaboradas contra a operação a mais impactante foi por parte de Demóstenes Torres (GO), segundo ele o BNDES tende a favorecer grandes conglomerados e deixar setores considerados menores “à míngua”. O senador ainda acrescenta que não há esperanças de que a oposição consiga derrubar a medida provisória, mas garante que vão tentar por todos os meios legais abrir uma CPI para investigação do BNDES.

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook