Atualizado em: 8 fevereiro 2011

Fabricantes Asiáticos assumem a liderança em portáteis

050519_china_silicon_hmed5p.hmedium

No último trimestre de 2010, as vendas de computadores aumentaram na ordem dos 3%, para um total de cerca de 93 milhões de unidades vendidas. Um quadro que os analistas da IDC consideram abaixo das expectativas – essencialmente, devido à concorrência dos tablets – e menor que a demanda expressa por smartphones, que subiu no ano passado mais de 100 milhões de unidades.

publicidade:

O ano de 2010 terminou e o mercado vendeu aproximadamente 350 milhões de smartphones um pouco mais de 300 milhões de tablets. 2011, no entanto, pode marcar uma virada decisiva, que é uma demanda recorde para supercelulares e tablets (estamos falando em mais de 400 milhões de unidades).

Os consumidores, profissionais e empresas, estão mais propensos a comprar telefones inteligentes e tablets, ao invés de laptops e desktops, porém, é apenas um aspecto que caracteriza a nova era de uma indústria que, até a última década, esteve fato nas mãos dos produtores norte-americanos.

Hoje, porém, e mais ainda no futuro,quem tem o papel mais importante a desempenhar na guerra pela supremacia em computadores pessoais são as empresas asiáticas, particularmente os da China e de Taiwan, como a Acer, Lenovo e Asus. Os dois primeiros estão atualmente em segundo lugar e em quarto no ranking mundial de vendas, respectivamente, atrás apenas da Dell e Hewlett Packard. A Asus tem experimentado um crescimento enorme nos últimos anos (atingindo a sexta posição da lista dos dez melhores do mundo, atrás da Toshiba do Japão), especialmente em alguns mercados e para categorias específicas de produtos (netbook, em primeiro lugar). O ponto chave da questão é: em alguns países, os produtores asiáticos já superaram as dos americanos, muito menos agressivos na parte comercial e enrolados em questões legais e de lutas internas pelo poder.

Fonte: IDC

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook