Atualizado em: 4 setembro 2013

Esportistas que são ou foram dependentes de drogas

O doping é um dos principais inimigos do atleta, mas dependentes ... como a manipulação do sangue ou de genes são considerados ilegais
Você Sabia?
Que o doping é um problema que surgiu nos Jogos Olímpicos anteriores a 1936, mas que começou a ser controlado de forma mais organizada em 1967.
0,,15340581-EXH,00

Maurren Maggi foi suspensa dois anos por doping no ano de 2003

Hoje  em dia muitos atletas são pegos no exame antidoping que é realizado sempre depois das partidas, na maior parte dos casos, o tratamento do dependente de drogas não requer internação. Nos raros casos em que é necessária, ela deve ser decidida com base em critérios claros e definidos, estabelecidos por um especialista.

Lembrando que muitos atletas são dependentes das drogas uns ainda em atividade outros lutam contra este vicio, segundo estudos relacionados á dependência química a cada dia que passa tem se tornado maior, e por mais que as pessoas especializadas em dependência.

publicidade:

Jogadores Dependentes de Drogas

Anderson
O exame de urina do atleta do Internacional acusou morfina. Ele se justificou dizendo que a substância provinha da semente de papoula que havia comido horas antes.

André Balada
O jogador admitiu o uso de cocaína e álcool por três anos, inclusive no período em que jogou pelo Palmeiras. Livre das drogas desde que se tornou evangélico, em 2004, André passou a estudar teologia.

Athirson
Apesar de um exame anti-doping ter flagrado o estimulante femproponex, o lateral foi absolvido em 2000.

Campos
Foi o protagonista do primeiro caso de doping no futebol brasileiro. Quando pertencia ao Atlético-MG, em 1973, foi pego no teste, que acusou consumo do estimulante efedrina. Ele alegou que tomava remédios indicados pelo médico do clube. Acabou sendo suspenso por seis meses.

Dinei
Em 2000, o jogador — Campeão Brasileiro naquele ano — foi pego em um exame. Ele assumiu ser viciado em cocaína, pegou 240 dias de punição e acabou virando um ícone para as entidades que tratam dependentes.

Edinho
Em junho de 2005, o filho de Pelé foi preso por envolvimento com tráfico de drogas. Ele admitiu em seu depoimento que era viciado em maconha. Segundo declarações, o vício o afastou da família. Depois, Edinho foi preso por associação com o tráfico de drogas e por lavagem de dinheiro, e ficou na cadeia por 10 meses. Atualmente é da comissão técnica do Santos.

Jardel
O jogador que fez história no Grêmio, ficou conhecido por sua maior habilidade: fazer gols. Foi artilheiro do Vasco, Grêmio, Porto (Portugal), Galatasaray (Turquia) e Sporting (Portugal), e vencedor dos prêmios Bola de Ouro e Chuteira de Ouro. Em 2008, já fora dos gramados, afirmou que o principal motivo da repentina queda de seu rendimento em campo foi o consumo constante de cocaína.

Júnior Baiano
O zagueiro titular da Copa do Mundo da França foi pego em um exame anti-doping em 2001. Reagiu à notícia dizendo que seus inimigos deveriam ter colocado a droga em sua comida ou bebida. Antes disso, porém, já tinha reputação de “baladeiro”, e não negava ser amigo de traficantes. Na época do flagrante, foi suspenso por 120 dias.

Lopes
Quando era contratado do Palmeiras, foi apanhado num anti-doping por uso de cocaína. Tomou uma suspensão. Para piorar a situação, Lopes fugiu duas vezes da concentração e abandonou os treinos. Acabou sendo colocado na reserva e depois foi emprestado para outros clubes.

Mário Sérgio
Flagrado por uso de anfetamina em uma partida do Campeonato Paulista contra o São Paulo, acabou suspenso por três meses. Na época, em 1984, jogava no Palmeiras.

Pedrinho
O meia do Corinthians sofreu uma série de contusões em 2002. Nessa época, um exame detectou a presença de anti-depressivos em seu sangue.

Reinaldo
O centroavante foi destaque nos gramados nas décadas de 1970 e 1980. Chegou a ser artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1977, quando estava no Atlético-MG, e jogou a Copa de 1978. Ele confessou que era viciado em cocaína quando foi preso com 600 gramas da droga em 1996.

Régis Pitbull
Foi pego usando maconha quando jogava no Bahia. Teve que cumprir 121 dias de suspensão e ficou com a fama de garoto-problema. Isso levou sua carreira para o buraco. Em 2008, jogando pelo Rio Branco de Andradas, foi pego no anti-doping mais uma vez, em jogo contra o Cruzeiro, no Campeonato Mineiro.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook