Atualizado em: 30 abril 2010

Caso De Osama Mohammed El-Atari

A maioria das pessoas tem medo de morrer. Mas esse não é caso de um americano de origem Jordânia. Ele levou uma vida de rei nos Estados Unidos por meio de empréstimo que já lhe rendeu, em cash, R$ 100 milhões.

publicidade:

Aí você se pergunta: o que é isso tem a ver com medo ou não da morte? Com o caso do americando Osama Mohammed El-Atari, tem tudo a ver. É que para fugir do golpe dos empréstimos ilícitos, ele veio para o Brasil e comprou uma certidão de óbito para se fingir de morto. Acabou preso.

A história é cômica se não fosse trágica. Em dezembro de 2007, ele foi enganar bancos pegando dinheiro emprestado, milhões de dólares. Ficou rico. A primeira agência a cair no golpefoi  uma no estado da Virginia. De lá, ele saiu com US$ 5 milhões, mostrando documentos falsos que o apresentava como dono de seguros de vida no valor de quase R$ 13 milhões.

Chegou a comprar churrascarias com o dinheiro, mas não usou parte dele para afzer negócios, mas sim para cair em consumismos desenfreados e vida de luxo. Comprou  Ferrari, Lamborghini, Rolls-Royce de R$ 900 mil e um Bentley de quase R$ 400 mil.

Munido de mais documentos falsos, pegou mais empréstimo. Dessa vez, uma bolada de R$ 100 milhões.
Sabendo que um dia seu plano ruiria, resolveu pegar uma quantia e investir na sua própria morte, ao menos no fingimento dela e encontrou a saída no Brasil, forjando a própria morte, fingindo que tinha morrido no Brasil para sair da lista de procurados do FBI.

Espertos, o Consulado Americano no Rio de Janeiro observou algo errado na certidão de óbito de Osama, comunicando a polícia. Os investigadores então descobriram a ilegitimidade do documento que vendido por um médico. Estavam mais dois agentes funerários envolvidos na trama e todos acabaram presos.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook