Calcular Acerto Trabalhista

Para termos uma vida digna, é fundamental que todos nós tenham um trabalho para que possamos crescer na vida e realizar os nosso sonhos. O trabalho, de fato, engrandece o homem e o permite se planejar para ter um futuro melhor para si e sua família.

Porém, nem tudo são flores e as vezes temos alguns problemas em nossos trabalhos. E com isso, chega o momento de sairmos deles para que possamos tomar outros rumos e seguir com nossas vidas em um outro local. Nesse momento de saída, é necessário que se calcule corretamente tudo o que ainda temos para receber do nosso atual emprego.

Afinal de contas, ninguem quer e deve sair perdendo. Nesse momento de saída, é importante buscar seus direitos e não postergar esses detalhes. Infelizmente, muitos brasileiros ficam sem receber dos seus empregos porqu não cobraram o que lhe eram de direito no período devido e quando tentaram reaver os valores, já era tarde demais.

E com isso, os juizados especiais estão cada vez mais abarrotados de processos e questões trabalhistas – sendo que a grande maioria poderia ter sido resolvida com o simples diálogo entre as partes interessadas.

No momento da rescisão contratual, os seguintes pontos são levados em questão:

  1. - Saldo de salário
  2. - 13º Proporcional
  3. - 13º Vencidos
  4. - Férias Proporcionais
  5. - Férias vencidas (normais e em dobro)
  6. - Aviso prévio (indenizado e descontado)
  7. - 13º e Férias sobre aviso (indezinados)
  8. - Indenização adicional (Lei nº 7.238/1984 art. 9º)
  9. - Multa atraso rescisão (art. 477 CLT)
  10. - Salário Família
  11. - Horas extras na rescisão
  12. - Adicional noturno na rescisão
  13. - FGTS não depositado no período
  14. - Multa 40% sobre o FGTS
  15. - Indenização de 50% (quando se tratar de quebra de contrato)
  16. - Desconto de INSS
  17. - Desconto de IRRF

Como efetuar o cálculo do acerto trabalhista