Atualizado em: 4 agosto 2011

A farsa do provedor de Internet

Entenda como é feita a venda casada do serviço de acesso à Internet. Atualmente, os provedores são completamente desnecessários. Pagamos duas vezes pelo serviço.

provedores-pinoquioTodos nós já estamos acostumados com a figura do provedor de Internet, salvo alguns felizardos que não precisam dele, como os clientes da Net Virtua.Durante anos fomos obrigados a pagar por um serviço que efetivamente não era prestado por estas empresas.

O provedor já foi necessário

Nos anos 90, ainda era comum que provedores de Internet prestassem este serviço. Essas empresas, de fato tinham os equipamentos e a infraestrutura necessária para vender a conexão com a Internet.

publicidade:

Na época, os usuários discavam para um número telefônico que era atendido por um equipamento chamado “modem”, e este fazia a conexão entre o modem do computador do cliente e um backbone de Internet. O tempo passou, a tecnologia simplificou as coisas, e os pequenos provedores, gradativamente, foram comprados por empresas maiores, e todas elas acabaram se reduzindo a uma meia dúzia nos dias atuais.

Provedores não prestam serviço de conexão

Outra coisa que mudou foi a transferência da infraestrutura destes provedores para as próprias empresas de telecomunicações. Não pense que você acessa a Internet através da Globo, IG, UOL, Terra e outros. Isto é uma farsa. Quem provê o serviço de conexão à Internet, efetivamente, são as teles. Então, se a sua conexão é discada, e seu telefone é da Oi, é ela que presta o serviço. Se sua conexão é banda larga da Velox é a Oi que presta o serviço.

Os provedores, atualmente, teriam o direito de cobrar apenas pelo seu conteúdo “premium”, não pelo acesso à Internet.  Tais empresas se tornaram meras terceirizadas das operadoras de telecomunicações e entregam para essas companhias, a maior parte do seu faturamento, em troca de vender um serviço que não prestam. Todos acabam ganhando, inclusive o governo com os impostos, e quem perde é o… Adivinhe?

É uma parceria da China. Os provedores revendem o serviço de conexão das teles e ficam com a função de fazer a cobrança. Os provedores se tornaram bilheteiros da Internet, e eventualmente lhe vendem o acesso a algumas revistas, vídeos, etc.

Venda casada

O que as teles e os provedores fazem é venda casada, ferindo diretamente o Código de Defesa do Consumidor. Ainda assim, com a insatisfação do consumidor, desrespeito à lei, falta de argumentos técnicos e inúmeros processos judiciais, a Anatel se recusava a mudar as regras.

Ou o provedor nos vende o acesso à Internet ou as teles nos vendem. Para você entender como as coisas funcionam, contratar provedor é o mesmo que pagar pela energia para a companhia elétrica, mas também ter que pagar uma taxa de acesso para um “provedor de energia elétrica”, que na prática, só tem o nome. Quem faz tudo é a companhia elétrica.

Mudança nas regras do setor

A recente proposta de acabar com a obrigatoriedade de contratação de provedor de Internet para conexões banda larga, também deveria se estender para as conexões discadas, até mesmo porque, este tipo de conexão normalmente está associado a áreas de baixa renda.

E você? Há quantos anos paga por algo que não precisaria pagar?

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook