Atualizado em: 21 maio 2013

Resumo de Trovadorismo

O Trovadorismo foi a primeira manifestação literária da língua portuguesa. Nesse período surgiram as cantigas, produções artísticas feitas por trovadores para expressar sentimentos como amor, saudade, irá e sarcasmo.
Você Sabia?
Antigamente, Segundo o trovadorismo o homem mantinha-se totalmente religioso e temente, cujos posicionamentos estavam sempre à mercê da vontade divina, assim como os fenômenos naturais.
O Trovadorismo manifestou-se na Idade Média e estendeu-se até o século XV. Foi a primeira manifestação literária da língua portuguesa, no período em que Portugal estava em processo de formação nacional. As manifestações se baseavam em poemas feitos por trovadores (artistas de origem nobre) para ser apresentados em feiras, festas e castelos.

Aspecto Econômico

Trabalho nos feudos (principal atividade no período Trovadoresco)

A Europa nessa época sofria com constantes invasões dos povos germânicos, causando inúmeras guerras. Perante isso, desenvolveu-se o sistema econômico denominado feudalismo. Nesse sistema, somente o senhor feudal poderia governar, tinha pleno poderes sobre seus servos e vassalos. O senhor feudal, também chamado de suserano, cedia a posse de terras a um vassalo que se comprometia a cultivá-la e a repassar parte da produção ao dono do feudo. Em troca disso, os servos ganhavam proteção militar e judicial em casos de ataques e invasões. Esse processo de subordinação recebe o nome de vassalagem.

Arte e Cultura

A Idade Média foi muito influenciada pela Igreja, esta detinha o poder político e econômico, mantendo superioridade, até mesmo, da nobreza feudal. Prevalecia o teocentrismo, Deus era o centro de todas as coisas.

Arquitetura

Toda produção artística era voltada para a construção de igrejas, catedrais e abadias. Todas as produções literárias eram feitas em galego-português, denominadas de cantigas.

Estas cantigas eram manuscritas e reunidas em livros, os Cancioneiros, que são apenas três:

Projeção de castelo semelhante aos dos senhores feudais

“Cancioneiro da Biblioteca”, “Cancioneiro da Ajuda” e “Cancioneiro da Vaticana”.

Os trovadores de maior destaque são: Aires Nunes, Dom Duarte, Dom Dinis, Paio Soares de Taveirós, João Garcia de Guilhade e Meendinho.

No trovadorismo as cantigas são divididas em: Satíricas (Cantigas de Maldizer e Cantigas de Escárnio) e Líricas (Cantigas de Amor e Cantigas de Amigo).

Cantigas de amigo

Nas cantigas de amigo, o eu-lírico é sempre uma mulher. A palavra amigo significa namorado e o tema principal é o lamento da mulher pela falta do amado que partiu para as Cruzadas. O uso marcante de recursos como paralelismo, refrão, reiterações e estribilho, facilitam a memorização e execução das cantigas.

Cantigas de amor

O trovador se dirige à mulher amada exaltando suas qualidades e colocando-se numa posição inferior. O tema mais constante é o amor não correspondido. O trovador passa a ser o vassalo da suserana ( a amada) e coloca-se a serviço dela, esperando um benefício em troca, isso faz com que o amor seja um objeto distante e impossível

Cantigas de escárnio

Eram sátiras indiretas, com duplo sentido para encobrir a agressividade. Os nomes da pessoa satirizada não era citado na cantiga.

Cantigas de maldizer

Diferente das cantigas de escárnio, nas cantigas de mal dizer o trovador fazia sátiras diretas, partindo até para a agressão verbal. Trechos de baixo calão eram frequentes e o nome da pessoa satirizada aparece explicitamente.


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook