Atualizado em: 12 setembro 2011

Triste Fim de Policarpo Quaresma - Resumo

Veja neste artigo, o resumo da obra “Triste Fim de Policarpo Quaresma” de Lima Barreto

O autor Lima Barreto primeiramente publicou a obra “Triste Fim de Policarpo Quaresma” em folhetins no Jornal do Comércio durante os meses de agosto e outubro do ano de 1911 e após 05 anos, em 1916, publicou-o em livro.

O “Triste Fim de Policarpo Quaresma” é a obra mais famosa de Lima Barreto e nela podem ser encontrados fatos históricos e políticos da fase da implantação da república durante o governo de Floriano Peixoto.

publicidade:

O livro relata a história do Major Policarpo Quaresma nos primeiros anos após a Proclamação da república, enfatizando o seu nacionalismo exagerado e ingênuo.

No início, a história mostra-se divertida e descontraída, mas com o tempo o sofrimento do Major Quaresma toma conta da narrativa.

Resumo

Na primeira parte da obra, o autor nos apresenta à personagem e as suas manias e obsessões. Quaresma é extremamente obcecado pelos temas da cultura brasileira e, por isso, além de só comer e beber o que considera tipicamente brasileiro, tem a casa repleta de livros sobre o assunto, planta somente flora nacionais em seu jardim e se ocupa apenas de tarefas e atividades relacionadas ao nacionalismo e ao patriotismo.

Devido sua falta de senso de ridículo e seu fanatismo pelas coisas brasileiras, a personagem passa a ser ridicularizada pelas pessoas e até pela impressa.

Na segunda sessão do livro, Quaresma está tão desiludido e infeliz com a falta de compreensão dos seus compatriotas urbanos que decide se mudar para o campo para cuidar das questões nacionais da região.

Na terceira e derradeira parte, o Major Policarpo volta para a Capital e se alista nas tropas do governo contra a Revolta da Armada, pois acreditava que sua nação somente seria grande se o chefe maior fosse respeitado. Os revoltosos foram vencidos e Policarpo foi transferido para a Prisão da Ilha das Cobras para trabalhar como carcereiro.

Indignado com a atitude de um juiz que distribuiu condenações aleatoriamente, a personagem escreve para o presidente solicitando a reparação do ato.

Considerado como um traidor por sua carta, Policarpo é preso e condenado a morte.

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook