Atualizado em: 28 junho 2011

Trabalho nos dias de Hoje no Brasil

Um país marcado por disparidades e desigualdade social, econômica, territorial e cultural não permite a generalização de temas. É impossível discutir ou abordar qualquer assunto de forma unificada quando se pensa em Brasil.

Trabalho Hoje no BrasilO trabalhador do Nordeste não é o mesmo do Sudeste e o do Norte enfrenta situações, na maioria das vezes, inimagináveis para um trabalhador do Sul. Até mesmo dentro de uma única região as discrepâncias são enormes.

O processo de industrialização que aconteceu de forma tardia no país foi um dos maiores responsáveis por essa situação, principalmente, por ter se concentrado primeiramente nas regiões Sudeste e Sul.

publicidade:

O perfil do trabalho, do profissional, do patrão e do salário variam de forma assombrosa. Em uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIESE verificou-se que a disparidade é tão grande quanto absurda. No ano de 2000 a média salarial de São Paulo era de R$ 1.397,00 e em Recife/PE de apenas R$ 783,00.

Enquanto há vagas altamente técnicas para profissionais qualificados em algumas regiões, em outras ainda há o trabalho semi-escravo, onde adultos e crianças trabalham por praticamente nada. Existem vagas que demoram meses para serem preenchidas porque o mercado não possui mão de obra qualificada enquanto tantos outros estão desempregados.

Hoje podemos encontrar grandes multinacionais, médias, pequenas e micro empresas na mesma cidade, como em São Paulo por exemplo. Há demanda por profissionais altamente qualificados, mas também há vagas para o trabalhador médio, em algumas regiões reinam a informalidade e os subempregos, nas regiões mais afastadas existem os pequenos trabalhadores rurais que lutam para sobreviverem da terra, há os catadores de cana no Norte e no Nordeste que trabalham em condições subumanas.

No Brasil, assim como em outros setores, o trabalho é díspar e reflete as discrepâncias do país.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook