Atualizado em: 26 agosto 2011

Guerra na Líbia: Resumo

Entenda desde o início todo o conflito que acontece na Líbia, desde fevereiro deste ano. No momento, o ditador Kadaki está desaparecido, tornando-se assim, um dos homens mais procurados do mundo.

A Guerra na Líbia se deu início no dia 13 de fevereiro deste ano, e acontece até hoje. Trata-se do movimento de protestos nos países árabes em
2010 e 2011, onde o povo busca por mais liberdade e democracia, mais respeito pelos direitos humanos, uma melhor distribuição da riqueza e a redução da corrupção no seio do Estado e das suas instituições. Devido a esses objetivos formaram-se grupos rebeldes que começaram a atuar no país esperando-se que o chefe de Estado líbio, Muammar Kadafi, renuncie o governo, no qual, já está há mais de 40 anos.

Muitas pessoas e intelectuais se juntaram aos grupos, mas na sua maioria (dos intelectuais), foram presos, como o escritor e comentarista político Jamal al-Hajji, preso em 1 de fevereiro, que teria “apelado pela Internet aos protestos pela liberdade na Líbia.

publicidade:

Os protestos se espalharam rapidamente e cada vez mais os grupos conseguiam mais aliados. Com isso, começaram a invadir várias cidades deixando Tripoli, a capital do país, cercada por cidades controladas pelos manifestantes. Mas o que aconteceu mesmo para que esse conflito aumentasse e ganhasse mais força até hoje, é que Kadafi reagiu todos os protestos com violência, o que acabou deixando muitas pessoas
mortas.

Países do mundo inteiro se pronunciou contra as atitudes do líder. Então, devido a tantos crimes contra a humanidade cometidos pelas tropas do governo contra os rebeldes e civis líbios, em 16 de maio de 2011, Luis Moreno-Ocampo, Procurador-Chefe do Tribunal Penal Internacional, sediado em Haia, solicitou mandato internacional de captura e prisão contra o líder líbio, por crimes contra a Humanidade.

Kadafi, com isso, tornou-se um dos homens mais procurados do mundo. Agora, não só os manifestantes, como também o mundo inteiro espera que ele se entregue ou que seja encontrado. Mas enquanto isso, a onde de protestos ainda continuam no país.

Em abril para junho, muitas pessoas começaram a fugir do país devido a tantos conflitos. No mesmo período desses meses, um ataque de Míssel da Otan a uma casa, mata o filho mais novo do ditador e três de seus netos.

Kadafi cercou com suas forças armadas o hospital de Trípole, fazendo com que cerca de 80 pessoas fossem mortas por falta de atendimento, pois as ordens era que não deixassem ninguém se aproximar.

Em julho, a Secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, anunciou durante a reunião do Grupo de Contato da Líbia, que reune 30 governos e organizações, reconheceu o Conselho Nacional de Transição dos rebeldes como representante da população líbia. Apesar disso, o ditador anunciou que não se entragaria e portanto está escondido.

Hoje

De acordo com o G1, nessa sexta-feira, 26 de agosto, o ministro do Conselho Nacional de Transição, órgão político dos rebeldes da Líbia, afirmou que forças havia cercado uma área na capital, Trípoli, onde o ditador Muammar Kadhafi e seus aliados mais próximos estariam escondidos, e que a presença do líder estava sendo monitorada antes de uma tentativa de captura.

“A área onde ele está agora está sob cerco”, disse à Reuters o ministro da Justiça, Mohammed al-Alagi. “Os rebeldes estão monitorando a área e estão cuidando disso.”

Veja algumas fotos

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook