O Guarani – Resumo

O Guarani é uma trama novelesca publicada em folhetim durante os meses de fevereiro e abril de 1857 que rapidamente conquistou o público-leitor e foi transformado em livro em menos de oito meses.

A obra é reconhecida por suas poderosas imagens de caráter plástico, mas criticada pelo enredo, ás vezes, falho e previsível e está dividido em 54 capítulos distribuídos em quatro partes: Os Aventureiros, Peri, Os Aimorés e A Catástrofe.

Resumo

O fidalgo português, D. Antônio de Mariz, vive às margens do Rio Paquequer, com a esposa D. Laureana, o filho Diogo, a filha Cecília (Ceci) e a suposta sobrinha Isabel que na verdade é filha do fidalgo.

A família passa a ser ameaçada pela tribo de índios aimorés após um acidente em que Diogo, sem querer, mata uma índia da tribo.

Peri, um guerreiro goitacá, salva Cecília e Isabel de uma emboscada e passa a viver com a família, protegendo Ceci de forma devota e apaixonada. O índio também salva Cecília de um italiano chamado Loredano que pretendia raptá-la e arruinar a família de D. Antônio.

Como os ataques continuam, para salvar a amada e a família dela, Peri ingere um veneno e vai à procura dos índios aimorés, pretendendo ser aprisionado em combate e comido por toda a tribo que morreria envenenada. Mas seus planos não dão certo porque Álvaro, jovem apaixonado por Ceci que juntara-se a Isabel por não ser correspondido, o resgata e o traz de volta para casa.

Peri volta para a mata para procurar o antídoto do veneno e encontra o corpo de Álvaro. Isabel, em total desespero, suicida-se junto ao corpo do amado.

Decidido a acabar com a questão, D. Antônio, decide explodir a casa com todos dentro, mas Peri o convence a salvar Ceci.

Enquanto a casa explode, Peri leva Ceci para a casa da tia no Rio de Janeiro, mas, descobrindo que Peri não ficaria com ela, Ceci decide ficar com o índio.