Atualizado em: 24 abril 2012

Níveis de Linguagem

É preciso saber usar a língua de maneira correta; conheça mais sobre esse assunto com os exercícios resolvidos.
Você Sabia?
Para usar os níveis de linguagem de forma correta é necessário estar ciente que é o contexto que liga o emissor ao receptor.
Níveis de linguagem

Níveis de linguagem: aprenda a usar as palavras de acordo com o local e o receptor. (Foto: Divulgação)

Quando começamos a estudar na escola a língua portuguesa, percebemos o quanto esse estudo requer atenção, pois apresenta várias facetas e inúmeras regras. Você sabia que existem os níveis de linguagem? Se não, vamos falar deles agora. Caso já tenha esse conhecimento, não custa relembrar.

Dependendo do lugar onde estamos, com quem conversamos e do que conversamos, o nível de linguagem muda. Nem sempre falamos da mesma forma quando queremos transmitir a mesma mensagem.

publicidade:

Assim, é diferente o modo que falamos quando nos dirigimos a um amigo de quando nos estamos conversando com uma autoridade.

Conheça os níveis de linguagem

Formal ou culto

O nível de linguagem formal é aquele aprendido na escola e que usamos normalmente quando falamos em uma situação que exige o uso correto da palavra. Nessa situação, costuma-se falar muito parecido ao jeito que se escreve.

A gramática brasileira está diretamente ligada ao estilo formal e podemos dizer que é lá que está assegurada a unidade da língua nacional.

Exemplos:

“Estou preocupado”.

“Aquela senhora está muito enfeitada”.

“Aconteceu uma confusão na escola e as coisas terminaram em briga'”.

“Aquela mulher é muito vulgar”.

Informal ou coloquial

Em conversas mais descontraídas, é possível utilizar esse nível de linguagem. Não se trata de falar errado e atropelar o português. Nesse caso, apenas não se faz as exigências da primeira forma aqui explanada.

Exemplos:

“Tô preocupado”.

“Aquela senhora tá muito enfeitada”.

“Aconteceu um rebu na escola e o pau quebrou”.

“Aquela ali é uma perua”.

Técnica ou científica

As pessoas que exercem a mesma profissão costumam usar um tipo de linguagem diferenciada. Nomes ou expressões específicas são normalmente ouvidas nessa ambientes.

Regional

As pessoas falam de acordo com o lugar onde vivem, prova disso são os diferentes sotaques distribuídos pelo Brasil a fora.

Exercícios para melhor compreensão

1) Reelabore o diálogo abaixo, usando o nível formal:

– O meu, vê se não me deixa numa furada. Essa de pagar mico toda hora já tá me azucrinando todo e mais, no arrasta-pé das minas lá no morro, não vai aprontar pra cima de mim.

– Podes crer, irmão! Não vou dei­xar a peteca cair e nem dar mancada. O lance é o seguinte: a amizade aqui vai sa­car uma mina que é um estouro e você vai ficar babando!

2) Leia os trechos abaixo e identifique as características da língua padrão e da coloquial:

– Os dois amigos encontraram-se no pátio do colégio, na hora do intervalo, e Marcos perguntou:

— E aí, Zé ? Bora lá dar umas volta por aí depois da aula ?

— Só! A gente pode chamar o Nandinho e ir tomar umas – respondeu José bastante animado.

— Beleza. Fui, que já tocou o sinal — disse Marcos apertando o passo.

2– No corredor de uma universidade, um eminente professor de Direito Penal encontra um ex-aluno, agora seu colega. O professor diz:

— Que prazer encontrá-lo depois de tanto tempo!

— Como está, professor? É bom revê-lo — sorriu o ex-aluno emocionado. — O senhor nem pode imaginar o quanto me foram úteis os conhecimentos que adquiri nas suas aulas.

— Você sempre foi um bom aluno. Tinha a certeza de que se tornaria um advogado notável.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook