Memórias de um Sargento de Milícias – Resumo

O livro Memórias de um Sargento de Milícias foi inicialmente publicado em forma de folhetins semanais, entre junho de 1852 a julho de 1853, por Manuel Antônio de Almeida, filho de portugueses e médico por formação. O autor nunca exerceu a profissão, pois, devido a dificuldades financeiras, seus esforços foram desviados para área do jornalismo e das letras.

Como na época era comum que periódicos publicassem romances em fascículos semanais ou quinzenais, Manuel Antônio de Almeida resolveu escrever, anonimamente, o que se tornaria, um ano mais tarde, um dos seus livros mais conhecidos.

Por se tratar de um folhetim é possível observar que em determinados momentos o autor resgata alguns acontecimentos do capítulo anterior para situar os novos leitores e até mesmo os antigos.

Também é perfeitamente claro que no final de cada capítulo existe um apelo literário que faz com que os leitores esperem ansiosamente pelo próximo folhetim, ou seja, a cada capítulo o autor trabalha a expectativa do leitor através de um suspense.

Resumo

O enredo trata das aventuras de Leonardo, filho de Leonardo-Pataca e de Maria da Hortaliça, que nasceu de uma das pisadelas e dos beliscões que seus pais praticavam a bordo do navio para o Rio de Janeiro.

Toda a história é recheada de confusões e malandragens realizadas tanto pelo protagonista quanto pelas personagens secundárias.

Sua mãe é expulsa de casa por traição, seu pai foge com uma cigana e o deixa aos cuidados de seu padrinho, o barbeiro e de sua comadre, a parteira. Seu padrinho o encaminha à prática religiosa em um colégio católico, mas, por ter um gênio difícil, arteiro e detestar o trabalho, Leonardo acaba sendo expulso.

Ao retornar, se apaixona por Luisinha, filha de uma amiga de sua madrinha, mas a perde para o Rival José Manuel após ser expulso de casa devido as constantes brigas com Chiquinha, a filha de sua madrinha e a atual esposa de seu pai, que retornou após ser abandonado pela cigana.

Durante as vadiagens nos subúrbios da cidade se envolve com a mulata sensual Vidinha e arruma confusão com o major Vidigal, o militar onipresente da região.

Por intermédio da madrinha acaba conseguindo um posto no grupo de Vidigal, que esquecera completamente dele, mas por sua indisciplina passa mais tempo na prisão do que trabalhando. Devido as insistência e a proteção da madrinha e um antigo amor do major Vidigal, Leonardo supera todos os obstáculos com malandragem e se torna sargento de milícias e casa-se com Luisinha que havia ficado viúva com a morte de José Manual.

Na ocasião da publicação, a obra não foi bem acolhida pelo público por estar bastante distante dos romances nacionais idealizados do Romantismo Brasileiro, já que o protagonista foge ao estereotipo do herói.