Atualizado em: 15 outubro 2011

Memorial de Aires - Resumo

Veja neste artigo, o resumo da obra “Memorial de Aires” de Machado de Assis

Memorial de Aires foi publicado no ano da morte do autor, em 1908. Considerado um romance psicológico, a obra tem como temas principais a futilidade da elite brasileira do fim dos anos de 1800 e os relacionamentos amorosos.

Diferente de outros textos de Machado de Assis, a ironia e o sarcasmo são inexistentes e o narrador de Memorial de Ayres não é onisciente, estando reduzido a apenas um simples observador tentando descobrir o íntimo das personagens que, em sua maioria, são simples e bondosas.

publicidade:

Nota-se que o romance é bastante biográfico em relação à velhice do autor e de sua esposa Carolina, que falecera quatro anos antes da publicação da obra.

Resumo

O enredo é um diário narrado pelo personagem Conselheiro Aires sobre dois anos de sua vida como um diplomata aposentado sexagenário vivendo no Rio de Janeiro, entre os anos de 1888 e 1889. Aires é engenhoso no seu narrar e, geralmente, confunde e engana os leitores com observações perspicazes.

O Conselheiro fala sobre pessoas que conheceu, sobre livros e leituras que fizera em seu tempo de diplomata e reflete sobre acontecimentos políticos anteriores.

Relata sobre seu interesse, provavelmente amoroso, pela jovem viúva Fidélia, protegida pelo casal Aguiar e Dona Carmo, já velhos e sem filhos, e sobre a tristeza que os mesmos sentiram ao ver Tristão, um jovem rapaz considerado com um filho, viajar para Europa para estudar medicina e seu retorno, quando este decide casar-se com Fidélia, e a leva para a Europa.

No final, Aires, acompanha com piedade discreta, a solidão do casal que ficara sozinho sem as duas únicas pessoas próximas.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook