Atualizado em: 14 outubro 2011

Grandes Sertões Veredas - Resumo

Veja neste artigo, o resumo da obra “Grandes Sertões Veredas” de Guimarães Rosa

Grandes Sertões Veredas, publicado no não de 1956, é considerado a obra prima de Guimarães Rosa.

Narrado em primeira pessoa, o enredo é irregular e dominado pelo narrador-personagem Riobaldo que dá voz a todas as outras personagens com seu estilo e características linguísticas pessoais.

publicidade:

A trama ocorre no sertão de Minas Gerais e no sul dos estados da Bahia e Goiás, mas, devido a quantidade de divagações e reflexões existentes nessa densa narrativa, a obra ganha um caráter universal.

Resumo

No início do romance, Riobaldo narra vários fatos de sua vida passada, sempre reascendendo suas questões filosóficas sobre a existência do diabo, mas ele o faz de uma forma desconexa e caótica a ponto de, aparentemente, não possuírem relações entre si.

Essa dificuldade no contar, de acordo com o próprio Riobaldo, ocorre devido as coisas do passado que “se remexerem dos lugares”.

Com o tempo, o narrador começa a organizar seus pensamentos e a narrativa se torna linear e clara.

Sua infância com a mãe Brigi, seu amigo Reinaldo que fizera, junto com Riobaldo, uma travessia pelo rio São Francisco, a morte da mãe, a ida para a fazenda do padrinho Selorico Mendes, os estudos e a função de professor, até que junta-se a Zé Bebelo no combate contra os jagunços do sertão mineiro e suas aventuras pelos estados de Minas, Bahia e Goiás começam.

Entre desmembramentos, vinganças, desenlaces, alianças temporárias, traição e assassinatos, Riobaldo vai trocando de bando e combatendo outros jagunços até que Joca Ramiro é traiçoeiramente assassinado por Hermógenes e Ricardão (Judas) e seu amigo Reinaldo (Diadorim) clama vingança.

Atrás dos assassinos de Joca, Riobaldo e Reinaldo viajam pelos sertões e em uma certa ocasião Riobaldo, aparentemente, faz um pacto com o diabo para capturar Judas.

Diadorim enfrenta Hermógenes e os dois morrem em combate.

Riobaldo descobre que Diadorim na verdade era Maria Deodorina da Fé Bittancourt Marins, filha de Joca Ramiro.

Quando seu padrinho Selerico morre, Riobaldo herda todos os seus bens.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook