Atualizado em: 6 julho 2011

Obras e Biografia de Graciliano Ramos

Graciliano Ramos foi um doa maiores ecritores de todas épocas da história brasileira. O autor da belíssima obra: Vidas Secas

Quase impossível ter passado pela escola e não ter ouvido falar de Graciliano Ramos, um dos escritores mais importantes da literatura brasileira, no qual, teve como sua obre principal Vidas Secas pedidas até hoje para ser lida quando estar-se na escola, até porque a história dos retirantes nordestinos cai hoje em qualquer vestibular que um estudante for fazer, portanto sua leitura e o conhecimento sobre esse autor é fundamental para todos os brasileiros e qualquer um que se interesse pela cultura do nosso país. Portanto conheça a história e obras de Graciliano Ramos de Oliveira que era romancista, cronista, contista, jornalista, político e memorialista brasileiro.

Biografia

Nascido em dia 27 de outubro de 1892, na cidade de Quebrangulo, sertão de Alagoas, ninguém, nem mesmo seus pais, imaginariam a importância que Graciliano teria para o Brasil. Ele passou sua infância em seu estado Alagoas e também no estado de Pernambuco, mas assim que acabou o segundo grau partiu para o Rio de Janeiro, onde trabalhou por um bom tempo como jornalista.

publicidade:

Era uma espécie de revisor de provas tipográficas nos jornais cariocas “Correio da Manhã”, “A Tarde” e “O Século”. Colaborando com o “Jornal de Alagoas” e com o fluminense “Paraíba do Sul”, sob as iniciais R.O. (Ramos de Oliveira), seu pseudônimo.

Em 1915, ele volta para seu estado natal, e logo se casa com Maria Augusta de Barros, mas cinco anos após ela falece, deixando quatro filhos, ano de 1920. Sete anos depois, torna-se prefeito de Palmeira dos Índios mas renuncia em 1930 depois de dois ano de mandato e segue carreira como jornalista na mesma cidade, causando até polêmica algumas vezes para aquela época. Foi então, que foi preso em decorrência do pânico insuflado por Getúlio Vargas após a Intentona Comunista de 1935.

Em 1938, publica seu famoso romance “Vidas secas”, o que lhe deu maior reconhecimento até hoje. No ano seguinte é nomeado Inspetor Federal do Ensino Secundário no Rio de Janeiro.

Anos após, mais precisamente em 1945, começa a se aproximar do comunismo de fato, se aliando a alguns partidos políticos e ao líder do comunista no Brasil naquela época: Luís Carlos Prestes, no qual, fizeram algumas viagens.

No ano de 1952 ela adoece, e no início de 53 é internado, mas não acaba resistindo, acaba morrendo aos 60 anos, vítima de câncer no pulmão.

Obras:

  1. Caetés (1933) (ganhador do prêmio Brasil de literatura);
  2. São Bernardo (1934);
  3. Angústia (1936);
  4. Vidas Secas (1938);
  5. A Terra dos Meninos Pelados (1939);
  6. Brandão Entre o Mar e o Amor (1942);
  7. Histórias de Alexandre (1944);
  8. Infância (1945);
  9. Histórias Incompletas (1946);
  10. Insônia (1947);
  11. Memórias do Cárcere, póstuma (1953);
  12. Viagem, póstuma (1954);
  13. Linhas Tortas, póstuma (1962);
  14. Viventes das Alagoas, póstuma (1962);
  15. Alexandre e outros Heróis, póstuma (1962);
  16. Cartas, póstuma (1980);
  17. O Estribo de Prata, póstuma (1984);
  18. Cartas à Heloísa, póstuma (1992);

 

 

 

 

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook