Atualizado em: 15 outubro 2011

Broquéis - Resumo

Veja neste artigo, o resumo da obra “Broquéis” de Cruz e Souza

Broquéis é uma coletânea de 54 poemas impregnados por fortes imagens que exaltam a brancura em suas diversas formas de manifestação.

O autor, Cruz e Souza, que nasceu em 1861, filho de negros alforriados, e morreu em 1898, utiliza-se de várias expressões e fenômenos naturais, como a neve, a neblina e a luminosidade do luar, para realçar a idéia do branco e do claro. Essa “obsessão” do autor está ligada á escola literária que fazia parte, o Simbolismo, que procurar chegar ao vazio absoluto através da estética plástica.

publicidade:

E é isso que Cruz e Souza faz, através da redundância de expressões relacionadas à cor alva. Ele tenta, simplesmente, criar um branco absoluto. No belíssimo poema “Antífona”, poema inicial da obra, é possível observar essa intenção.

Antífona

“Ó Formas alvas, brancas. Formas claras
De luares, de neves, de neblinas!…
Ó Formas vagas, tinidas, cristalinas…
Incensos dos turíbulos das aras…”

Outro recurso tipicamente simbolista, é o uso de palavras relacionadas à religião e a musicalidade decorrentes de rimas ABBA, da assonância, que consiste na repetição de uma determinada vogal, no caso do primeiro verso do poema Antífona, da vogal “a””, e o uso de versos harmônicos .

Na poesia de Cruz e Souza, em revelia ao simbolismo, também predomina temas como morte, amor, quimera, mulher e, como bem representado no poema Lésbia, a carne e a sensualidade luxuriosa.

Lésbia

“Cróton selvagem, tinhorão lascivo,
Planta mortal, carnívora, sangrenta.
Da tua carne báquica rebenta
A vermelha explosão de um sangue vivo.”

Em alguns poemas encontramos a presença da metalinguagem, da sinédoque (figura de linguagem que consiste na substituição de uma palavra que significa um todo por outra que significa uma parte e vice-versa), mas em todos encontramos um intenso misticismo.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook