Atualizado em: 23 setembro 2011


Bom-Crioulo - Resumo

Veja neste artigo, o resumo do livro “Bom-Crioulo” de Adolfo Caminha
O romance Bom-Crioulo foi publicado em 1895 por Adolfo Caminha que construiu a história inspirado em fatos verídicos ocorridos no Rio de Janeiro do século XIX.

A obra, dividida em 12 capítulos, faz parte do Naturalismo e Realismo e, por isso, caracteriza-se pelo determinismo: as ações e características das personagens são determinadas pelo meio em que vivem.

Adolfo Caminha, apesar de construir nesse romance um triângulo amoroso homossexual, narra os acontecimentos de forma imparcial e sem julgamentos morais. Suas personagens agem da mesma maneira e não se ressentem sobre os fatos.

Além da temática homossexual existente na obra, o autor explora a questão social que afeta as classes menos favorecidas.

Resumo

O negro Amaro, escravo fugido, era conhecido como o Bom-Crioulo, devido sua benevolência e paciência. Após sua fuga, conseguira um trabalho no navio,   mas achava não haver diferença, pois era “escravo na fazenda” e “escravo a bordo…”.

Na marinha daquela época havia castigos horrorosos, o trabalho era intenso, as saídas eram restritas e a solidão era terrível.

Amaro sempre cumprira com as ordens, mas quando Aleixo, rapaz branco e de olhos azuis, chega ao navio, interessa-se sexualmente por ele e entra em uma briga para defendê-lo. Aleixo sente gratidão pelo negro e este o envolve em um relacionamento homossexual.

Sempre que desciam do navio, iam para um quarto de pensão alugado por uma prostituta chamada Dona Carolina e tinha uma vida matrimonial. Durante um tempo, viveram um relacionamento sem sobressaltos, mas era claro que o jovem Aleixo não possuía sentimentos pelo Bom-Crioulo.

Depois que Amaro fora enviado para outro navio e as descida à terra firme passaram a ficar desencontradas, D. Carolina seduz Aleixo que se apaixona por ela e esquece do Bom-Crioulo.

Enciumado e desconfiado que Aleixo o estivesse traindo, provavelmente com outro homem, Amaro entra em uma briga, é castigado pelo comandante do navio com 150 chibatadas e fica hospitalizado. No hospital envia um recado para o amante que não aparece para visitá-lo.

Amaro, enlouquecido, foge do hospital e descobre que Aleixo e Dona Carolina tornaram-se amantes. Ao ver o jovem rapaz descendo a rua, Amaro o mata a navalhadas e é preso em seguida.


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook