Atualizado em: 24 abril 2015

A Moreninha Resumo

Veja neste artigo, o resumo da obra “A Moreninha” de Joaquim Manuel de Macedo

A obra “A Moreninha” foi escrita em 1844 por Joaquim Manuel de Macedo, que nasceu em junho de 1820 no Rio de Janeiro. O autor, que também era médico, escreveu o livro “A Moreninha” no mesmo ano em que se formou em Medicina e, devido à fama adquirida com a obra, abandou a medicina e passou a dedicar-se exclusivamente à literatura e ao jornalismo.

O autor, durante sua vida, escreveu vários romances, sátiras políticas, comédias, dramas e poesia, até que faleceu aos 61 anos de idade.

publicidade:

“A Moreninha” é considerado o primeiro romance publicado no país, apesar da obra “O Filho do Pescador” de Teixeira e Sousa ter sido publicada antes, devido sua relevância na literatura brasileira.

Resumo

Filipe, estudante de medicina, convida seus três amigos, também estudantes, Augusto, Fabrício e Leopoldo a passarem o dia de Santa’Ana na casa de praia de sua avó.

Todos se empolgam com o convite, exceto Augusto que diz não estar disposto a ir.

 Augusto é um jovem namorador que alega ser incapaz de permanecer com uma moça por mais de 15 dias e, por isso, para convencer o amigo, Filipe reforça que sua prima Joana, a pálida, de 17 anos, Joaquina, de 16 anos e sua irmã, Carolina, a moreninha, de 15 anos estarão na casa também e seus amigos apostam que se alguma mulher conseguir “segurá-lo” por mais de 15 dias ele terá que escrever um romance sobre o assunto.

Na casa de praia, Augusto acaba se tornando muito amigo da avó de Filipe, Dona Ana, e conta a ela porque não consegue se apaixonar por nenhuma mulher.

Ele conta a Dona Ana que quando jovem, aos 13 anos de idade, encontrou uma linda menina em uma praia a quem lhe entregou o coração. Eles prometeram casarem-se um com outro e ela ficara com seu camafeu e ele com o botão esmeralda da blusa dela. Eles nunca revelaram seus nomes e se despediram como “meu marido” e “minha esposa”.

Enquanto ele conta sua história de amor para dona Ana, Carolina acompanha silenciosamente a narrativa.

O feriado acaba e os estudantes voltam à corte, mas Augusto traz no peito um sentimento secreto por Carolina que o faz retornar a casa da moça.

Eles se tornam amigos e namorados. Então, Carolina o repreende alegando que ele deveria permanecer fiel ao seu amor juvenil, mas Augusto contesta que não sabe quem ela é e que agora não pode negar o sentimento puro e verdadeiro que nutre por Carolina.

Então, a jovem revela a Augusto o camafeu recebido naquela praia e os dois podem, enfim, entregar-se sem culpa ao amor.

E como Augusto perdera a aposta, ele escreve o romance intitulado “A Moreninha”.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook