Atualizado em: 27 setembro 2011

A Educação pela Pedra - Resumo

Veja neste artigo, o resumo da obra “A Educação pela Pedra” de João Cabral de Melo Neto

João Cabral de Melo Neto nasceu no ano de 1920 na cidade do Recife, mudou-se para o Rio de Janeiro em 1942 para trabalhar como funcionário público e, aos 27 anos, tornou-se diplomata.

Durante sua vida, o autor dividiu-se entre as obrigações da carreira diplomática e o amor à poesia. Sua primeira obra, “Pedra do Sono”, foi escrita em 1942, quando o autor tinha apenas 22 anos de idade.

publicidade:

Desde então, o poeta e escritor tem produzido belíssimas obras, como “Morte e Vida Severina” e tantas outras.

Resumo

“A Educação pela Pedra” foi escrita em 1965 com rigor sistemático e simétrico entre linguagem e realidade. O autor não usa metáforas, ele prefere abordar a realidade como um processo contínuo de aprendizagem.

O livro, organizado também rigorosamente, possui 48 poemas divididos em quatro partes (a, A, b, B) onde nas partes minúsculas os poemas possuem uma estrutura mais curta enquanto nas partes maiúsculas, os poemas são mais longos.

O primeiro poema, que recebe o mesmo nome do título da obra, “A Educação pela Pedra”, caracteriza por uma linguagem precisa e concisa, desprovida de sentimentalismo, mas construído para obter à perfeição.

No livro também estão os poemas Catar Feijão, Fábula de um Arquiteto, O Mar e o Canavial, O Sertanejo Falando, Num Monumento à Aspirina, entre outros.

 

A educação pela pedra
Uma educação pela pedra: por lições;
para aprender da pedra, freqüentá-la;
captar sua voz inenfática, impessoal
(pela de dicção ela começa as aulas).
A lição de moral, sua resistência fria
ao que flui e a fluir, a ser maleada;
a de poética, sua carnadura concreta;
a de economia, seu adensar-se compacta:
lições da pedra (de fora para dentro,
cartilha muda), para quem soletrá-la.

Outra educação pela pedra: no Sertão
(de dentro para fora, e pré-didática).
No Sertão a pedra não sabe lecionar,
e se lecionasse, não ensinaria nada;
lá não se aprende a pedra: lá a pedra,
uma pedra de nascença, entranha a alma.

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook