Atualizado em: 31 março 2011

Texto Narrativo e Dissertativo - Dicas de Como Fazer

Como desenvolver um texto narrativo e um texto dissertativo, a criação de títulos e desenvolvimentos.

Texto 1

Não apenas um fator determinante para o bom resultado em trabalhos e faculdades, a redação é uma ferramenta fundamental para a auto-expressão. Entre os tipo de textos, encontram-se o narrativo, o dissertativo e o descritivo, sendo os dois primeiros mais presentes, com ênfase na dissertação, em propostas de redação para estudantes do ensino médio ou mesmo candidatos a um concurso vestibular ou público.

publicidade:

Como melhorar a minha capacidade de escrever?

O aconselhamento à prática é mais óbvio, ainda que a mais importante. É necessário o exercício da sua escrita de forma alternada (dia sim, dia não), caso não possa praticar diariamente, para que você possa ampliar a sua capacidade de elaboração de frases conexas e de formulação de conceitos, sem perder em qualidade de argumentação.

Procure escrever sobre temas variados, uma vez que, preso a um tema em especial, é provável que ocorra a criação de vícios temáticos. A diversificação é necessária à preparação da escrita, a versatilidade está na lista de habilidades de um bom escritor.

A criação de títulos também entra nas maiores dificuldades na montagem de um texto. Um bom título deve ser breve, informar o que é abordado na redação sem que revele toda a argumentação usada no texto, tornando-o irrelevante. Procure exercitar a criação de títulos com a leitura crítica de outros textos, relacionando seus títulos a seu corpo textual e julgando a eficácia do trabalho feito.

Texto 2

Como agir em uma dissertação?

A dissertação acaba se tornando a mais importante, levando em consideração a sua preferência em avaliações, uma vez que visa à argumentação através da impessoalidade e da coesão, não estando, assim, suscetível a subjetividade, fator desnecessário em assuntos predominantemente racionais.

Logo, no caso desse tipo de texto, sempre seja impessoal. Não se integre na mensagem com o uso de primeira pessoa verbal, tanto no singular quanto no plural. A força de um argumento reside no domínio sobre o assunto, portanto, caso você deixe que tendências culturais ou religiosas interfiram no assunto, o seu texto perde em qualidade e muito. Este conhecimento também advém da acumulação informacional diária. Em outras palavras, acompanhe as notícias, de preferência já com a leitura mais crítica possível, evitando sensacionalismos – tanto de sua fonte, quanto em seu texto.

Como desenvolver uma narrativa?

A narrativa possui algumas ferramentas mais livres disponíveis ao escritor, como a escolha do tipo de narrador (personagem, observador ou onisciente) e, com ela, a escolha do uso ou não de elementos mais subjetivos.

Texto 3O narrador-personagem, por seu envolvimento na história, permite ao escritor um uso maior de elementos pessoais, assim como foi feito na obra machadiana “Dom Casmurro”, valendo a indicação para estudo.

O narrador-observador não se envolve nos fatos ocorridos, pedindo do escritor uma maior neutralidade em seu trabalho. Julgamentos pessoais relativos a outros personagens e questões na história não são bem-vindos com esse tipo de narrador.

Por último, o narrador-onisciente traz consigo a possibilidade do uso do discurso indireto-livre, no qual os pensamentos de um personagem se misturam à ideia transmitida pelo narrador. Esse elemento é comum na leitura de Vidas Secas, de Graciliano Ramos, sendo um dos autores brasileiros estudados no ensino médio.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook