Atualizado em: 23 setembro 2011

BC vai continuar intervindo contra a alta do dólar

De acordo com o BC, esta é uma operação que, após os primeiros negócios na abertura do mercado, estava correspondendo a uma oferta de mais de US$ 5,5 bilhões no mercado futuro, portanto, ainda seguem atuando no mercado.
O BC poderá agir com a moeda norte-americana no segmento à vista

O BC poderá agir com a moeda norte-americana no segmento à vista.

Em questões de benefícios e a nossa vida financeira, podemos estar certos de que, nem tudo o que que realmente queremos, funciona realmente, da forma em que deve ser. Para qualquer país, é importantíssimo saber mais sobre as questões de valores, o exemplo, está entre o dólar, uma moeda que está em alta.

O assunto

Segundo o representante do BC – (Banco Central), Aldo Luiz Mendes, ele disse à Agência Estado que a instituição vai continuar a atuar no mercado cambial futuro enquanto entender ser necessário.

publicidade:

Segundo a nota, divulgada nesta sexta-feira (23), foi dito também que, se caso for preciso, o BC pode agir também, com a moeda norte-americana no segmento à vista. “O Banco Central vai continuar no mercado futuro enquanto entender que é necessário”, assim foi afirmado.

Aprenda mais sobre finanças:

A operação anunciada após os primeiros negócios na abertura do mercado correspondia à oferta de mais de US$ 5,5 bilhões no mercado futuro. Da oferta total, foram vendidos pouco 55 mil contratos em uma operação que alcançou US$ 2,7 bilhões e conseguiu interromper a escalada das cotações.

O dólar comercial, começou mais um dia bem neste final de semana, na verdade, é assim, para alguns, o interesse é positivo, enquanto, para o Segundo a decisão de atuar ou não nos negócios, é determinada pelas condições de liquidez observada no mercado.

Segundo informações, Aldo Luiz Mendes, do Banco Central não encontrou problemas nos negócios do mercado à vista. “Não identificamos liquidez apertada no mercado spot. Mas se encontrarmos liquidez apertada nesse mercado, também podemos agir”, disse. Para saber mais detalhes, acessem o site do Estadão.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook