Atualizado em: 1 abril 2011

Facebook e Zuckerberg processados

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, está sendo processado pelo advogado e fundador da organização Freedom Watch, Larry Kleyman por não ter retirado a tempo uma página com conteúdo anti-israel.

Larry KleymanLarry Kleyman , fundador da organização Freedom Watch, está processando o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg e sua empresa, por não retirarem a tempo uma página do site onde os judeus são ameaçados até de morte.

Apesar de ter centenas de milhares de seguidores, o Facebook decidiu retirá-la do ar esta semana depois de mantê-la por muito tempo, apesar das críticas e pressões recebidas.

publicidade:

A medida, no entanto, não foi suficiente para Kleyman, que alega ter sofrido 1 bilhão de dólares em prejuízos. Além disso, o ex-candidato ao Senado da Flórida, de origem judaica, se reserva o direito de fazer a denúncia em uma ação coletiva. Ou seja, em uma ação onde podem se juntar outros interessados ​​a demandarem a mesma causa.

 

FACEBOOK DIVULGA UMA NOTA SIMPLES

O Facebook decidiu não fazer qualquer comentário neste momento, mas divulgou uma nota com as razões para o fechamento da página, onde diz, “começou como uma chamada para um protesto pacífico”, onde os administradores “apagavam os comentários que promoviam a violência”, mas depois se tornou algo inadministrável, com mais de 340 mil seguidores, e “os comentários se transformaram em clamores por violência”, o que levou ao fechamento da página.

 

O DEMANDANTE

O candidato também é um ativista judeu e um advogado conhecido por uma série de ações judiciais contra o governo de Bill Clinton e contra o vice-presidente norte-americano durante o governo de George W. Bush, Dick Cheney. Nestas ações, Kleyman tentava obter informações sobre a “Energy Task Force”, que foi organizada pela Casa Branca.

Neste caso, Kleyman diz que devido ao seu ativismo em favor da causa judia, foi acusado inúmeras vezes de ser um sionista radical, e isto se tornou um dos objetivos do convite para matar os judeus que era feito nessa página do Facebook.

Nas últimas semanas, de acordo com o comunicado de imprensa distribuído em ‘Standard Newswire “ , seus advogados pediram em várias ocasiões, a retirada da página e outras relacionados, mas seu pedido foi rejeitado em várias ocasiões. Somente com a pressão do governo israelense, se conseguiu eliminar o conteúdo da discórdia.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook