Espingarda de Pressão e Chumbinho

A espingarda é uma arma de cano longo. Tornou-se a principal arma do exército nos idos e bota idos nisso, século XVII. A denominação espingarda varia muito, mas geralmente são chamadas assim as de cano longo e lisas.

Embora existam tantas armas mais potentes hoje, com alto poder de destruição, a espingarda continua sendo uma arma de fogo, logo, bastante perigosa.  As de pressão, embora não sejam de fogo, logicamente, são muito usadas para caça e representam também um grande perigo quando usadas de modo inapropriado em sem cuidados.

Ela é perfeita para quem vai acampar e fazer caças. Mas, todo cuidado é pouco na hora de manuseá-la para não oferecer perigo a quem vai acampar. Para tê-la, ao contrário de uma arma de fogo, não é preciso ter porte nem solicitar registro de arma, porém, somente os maiores de 18 anos devem possuí-la.

As espingardas geralmente funcionam por ação de gás comprimido ou por ação de mola. Quando disparadas de uma longa distância, o efeito pode ser desastroso. Daí o grande cuidado que se deve ter, principalmente para não confundir passos de animais com o de pessoas, o que é muito comum na mata.

Há um debate travado sobre a periculosidade dessas armas. Muitos opinam que armas de pressão não são de fogo, logo, é uma grande perda de tempo o que vem sugerindo algumas autoridades em solicitar as guias de tráfego para elas. Caso a implantação dessa guia venha a vingar, as armas de pressão ganharão a mesma burocracia das armas de fogo para serem adquiridas.

Assim como os rifles estão para as armas de fogo, o chumbinho é quem abastece a arma de pressão. Existem de vários tipos delas no mercado.  As suas esferas (as de chumbinho) são feitas por fôrmas em máquinas injetoras (por pressão, com isso deixando o material mais compactado), depois é feito o acabamento para retirada de rebarbas no sistema de tamboreamento (espécie de centrífuga com outros materiais mais moles.

Um exemplo são os retalhos de couro ou outro material, que dão o polimento. Cada fôrma possui dois lados com vários moldes, interligados entre si por finas “canaletas” que é onde corre o material derretido injetado, esse chamado de “galho”, que é depois descartado e reaproveitado. As fôrmas são refrigeradas a água, em forma de serpentina interna.

E toda essa elaboração, quando introjetada numa arma de pressão, a longa distância, causa um estrago naquilo que estiver na pontaria.