Atualizado em: 15 março 2011

Consladel Construtora

 

 

 

 

 

 

A Consladel é uma empresa especializada em construção civil, sinalização viária, instalação de radares, manutenção de automóveis, processamento de dados e até compra e venda de imóveis.

publicidade:

Seu proprietário é o engenheiro Jorge Moura.

A Consladel possui muitos contratos com prefeituras, estados e governo federal e nos últimos anos esta construtora teve seu nome ligado a uma série de investigações do Ministério Público, todas relacionadas à corrupção em prefeituras e fraudes em concorrências.

Algumas noticiadas pelo Fantástico e que geraram muitas confusões.

Vocês já imaginam o que acontece, não é?

A Construtora se defende os políticos também e no final não sabemos quem estava errado na maioria dos casos.

Abaixo um resumo dos problemas da Consladel Construtora que acontecem desde 1996 direto da Veja online:

 

  • Em maio de 2002, em depoimento ao Ministério Público, o médico João Francisco Daniel, irmão de Celso Daniel, prefeito assassinado de Santo André, acusou a Consladel de ser beneficiária de um esquema de corrupção que funcionava na administração municipal petista
  • Dois anos depois, também em depoimento, Marcos Feliciano, um ex-assessor de Reynaldo de Barros, secretário de Obras em São Paulo na gestão do prefeito Paulo Maluf, incluiu a Consladel em um pool de empreiteiras que pagavam propinas em dólar para obter vantagens junto à secretaria
  • Em março deste ano, o Ministério Público em São Paulo instaurou um inquérito para investigar a prorrogação de dois contratos de radar firmados entre a Consladel e a gestão de Marta Suplicy. Técnicos do Tribunal de Contas já haviam considerado que os contratos ferem a lei de licitações
  • O Ministério Público ainda investiga a vitória da Consladel em outra licitação da gestão Marta, para reforma de praças. A suspeita é que ela apresentou preços abaixo do mercado para vencer a concorrência e, mais tarde, obteve um aditivo que aumentou o valor da obra de 7,6 milhões para quase 9,5 milhões de reais
  • Três vereadores ouvidos por VEJA confirmam que a Consladel era a coletora de uma caixinha destinada ao pagamento de “gratificações” a parlamentares que apoiavam projetos de interesse de um pool de empresas e da prefeitura de Marta Suplicy
  • O próprio dono da Consladel, segundo relato obtido por VEJA, admitiu que na administração petista pagava mensalmente 1,4 milhões em propinas a três órgãos públicos, além de 20 000 reais a dois secretários.

 

 

O site da Consladel só pode ser acessado com login e senha.

Deixamos aqui um vídeo das últimas denúncias.

Vídeo

Fantástico – Máfia das multas e lombadas eletrônicas fatura R$ 2 bi por ano

Fonte

Veja online

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook