Atualizado em: 20 março 2011

Chernobyl x Fukushima

fukushimaGA usina nuclear ucraniana de Chernobyl foi o palco em 26 de abril de 1986, do o maior desastre nuclear da história, e há temores que algo semelhante se repita no Japão.

Em 11 de março de 2011, um dos mais fortes terremotos das últimas décadas atingiu o Japão e causou um colapso na usina atômica de Fukushima, o que provocou alarme na comunidade internacional.

publicidade:

Causas

Uma série de explosões atribuídas a erros humanos e técnicos no quarto reator de Chernobyl, localizado a cerca de 100 km de Kiev, foram a causa do acidente ocorrido na central ucraniana, dano que havia sido previsto por especialistas ocidentais, cujos avisos foram ignorados pelos autoridades soviéticas. No caso da região central do Japão, localizada a 300 quilômetros de Tóquio, sendo  considerada uma planta extremamente segura, o terremoto destruiu os sistemas de refrigeração da usina e explosões danificaram três dos reatores, elevando perigosamente o nível perigosamente da radioatividade.

Consequências

O acidente em Chernobyl espalhou 200 toneladas de material com radioatividade equivalente a 500 bombas atômicas como a de Hiroshima. Para diminuir a temperatura, as autoridades nipônicas ordenaram uma abertura controlada das válvulas dos reatores, apesar do risco que o vapor radioativo fosse liberado. O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, reconheceu que nesta operação , uma quantidade “mínima” de radiação seria liberada, mas que seria “suportável” para as pessoas.

Poluição

A nuvem tóxica liberada pela central ucraniana afetarou mais de cinco milhões de pessoas, mas as autoridades internacionais de saúde nunca se quis ligar a radioatividade de Chernobyl, com aumento da mortalidade nas regiões afetadas da Ucrânia, Rússia e Belarus, e aumento do número de pacientes com câncer e doenças respiratórias. Organizações como Greenpeace estimam cerca de 200.000 mortos devido a esta catástrofe nuclear. Neste momento, várias dezenas de pessoas foram contaminadas pela radiação em Fukushima, enquanto cerca de 200 estão sendo examinadas. As autoridades decidiram evacuar cerca de 200.000 pessoas que vivem perto da usina e também estabeleceram um perímetro de alerta ou “Ground Zero” de 30 km. Milhares de pessoas, incluindo diplomatas e jornalistas, estão deixando de Tóquio, por medo de radiação. Os EUA aconselhou seus cidadão a manterem uma distância de 80 quilômetros do local.

A atitude do Governo .

No primeiro momento, a televisão soviética encobriu o desastre e mostrou fotos da usina de Chernobyl em perfeitas condições. O jornal “Izvestia”, um braço governamental da antiga União Soviética, foi o primeiro a relatar a falha de um dos reatores de Chernobyl com uma breve nota de oito linhas do Conselho de Ministros da URSS em um canto da sua primeira página. As autoridades japonesas mantiveram o público informado desde o início do vazamento, mas não há clareza sobre a real situação da usina, bem como quais seriam as consequências imediatas para a região próxima.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook