Atualizado em: 6 maio 2011

Banco de dados sobre obras de arte roubadas pelos Nazistas

Estados Unidos cria um banco de dados centralizado sobre as obras de arte que foram roubadas pelos nazistas durante a segunda guerra mundial.

Obras de arteAs pinturas, jóias, arte sacra e outros tesouros culturais saqueados pelos nazistas, passaram por várias mãos, em vários países depois de terem sido recuperados pelos aliados após a Segunda Guerra Mundial.

Eles mantinham registros meticulosos sobre as peças, mas estavam espalhados em vários lugares. Agora podem ser revistos na sua totalidade, através de um único site.

publicidade:

Na quinta-feira, os Arquivos Nacionais dos EUA anunciaram o lançamento de um portal que oferece acesso a arquivos digitalizados de peças culturalmente relevantes que foram saqueadas.

Embora os funcionários salientassem que o banco de dados é atualizado, representa a pedra angular de uma campanha lançada há 15 anos para melhorar a cooperação entre as diversas instituições que têm esses registros.

“Eu não tenho que viajar pelo mundo e gastar uma fortuna para ver os materiais”, disse James Hastings, que coordenou a cooperação entre os arquivos.

Os nazistas confiscaram milhões de peças requintadas de toda a Europa nos anos entre a ascensão de Hitler ao poder até o fim da guerra. Grande parte do tesouro foi recuperado, mas muitos objetos nunca mais voltaram aos seus legítimos proprietários, que em milhões de casos, foram assassinados durante o Holocausto.

“Foi um saque de escala continental”, disse Deborah Dwork, diretora da Familia Strassler para Estudos Sobre o Holocausto e o Genocidio da Universidad de Clark. “Ainda existem armazéns cheios dessas peças.”

Onze instituições de sete países concordaram em participar do processo, e representantes de oito destes países estiveram presentes na quinta-feira para assinar e formalizar o acordo.

As autoridades dos EUA disseram esperar que o arquivo de banco de dados seja de grande interesse para os acadêmicos, mas também será aberto a todos os que querem saber o que aconteceu com um tesouro de família.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook