Atualizado em: 1 novembro 2012

Tratamento igualitário com os filhos – como não fazer diferença entre eles

Essa forma individualizada de educar os filhos não irá erradicar as brigas, as crises de ciúme mas diminuirá a intensidade e a frequência delas.
Você Sabia?
Que o comportamento é definido como o conjunto de reações de um sistema dinâmico, em fase às interações e renovação propiciadas pelo meio onde está envolvido.

Modelo da relação entre irmãos, um modelo trágico. Inveja, ciúmes e fratricídio são os temas dessa história.

Filhos, como todas as mães dizem “pena que eles não vem com manual”, e não vem mesmo, sendo que precisamos descobrir tudo na hora, fazendo, e muitas vezes nos sentimos culpadas pelo fato de ter errado, algo que não deve acontecer, afinal, nossos pais erraram conosco, os pais deles também e por assim em diante.

Porém, um pequeno problema pode surgir, quando se tem mais de um filho principalmente, afinal, depois de determinada idade, eles já possuem a sua personalidade formada, já se dão ao direito de discutir, de fazer as coisas erradas e acreditar que estão certos, e tudo aquilo que todos nós passamos em nosso dia a dia.

publicidade:

Tratamento igualitário com os filhos

1 – Antes de mais nada, é sempre importante tirar da cabeça aquela visão de “eu sou adulto e você é a criança”, afinal, isto pode até fazer com que a criança obedeça, mas não que ela entenda, sendo assim, se o mais velho pode ficar até mais tarde vendo televisão, explique para o mais novo, e se mesmo assim não funcionar, ninguém pode assistir então.

2 – Quando as crianças brigarem, apenas procure parar com a briga, procurar saber quem esta certo não irá adiantar, afinal, se o mais velho estiver certo, você o estará defendendo, segundo o mais novo e vice e versa. Na hora dos presentes, o ideal é nunca presentear apenas um, a não ser que seja aniversário, é claro.

3 – São pequenas coisas que podem fazer completa diferença, assim como também tentar manter o equilíbrio, afinal, um pode pedir mais colo que o outro, fazendo com que o outro acredite que isto é culpa sua e não dele.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook