Remédios e fórmulas para Aborto

Quando falamos em espontâneo, tudo soa melhor, ainda mais quando colocamos a palavra aborto no meio. É… no Brasil o aborto espontâneo é algo que acontece com várias mulheres, algumas vezes, essa perda pode ser sofrida, outras, nem tanto.

O aborto é um assunto polêmico, e coloque polêmico nisso, ainda mais quando esquecemos de usar essa palavrinha: espontâneo. Isso gera uma confusão e tanto!

Tudo isso porque no Brasil o aborto – ocorre quando uma mulher geralmente engravida contra a sua vontade e deseja interromper a gestação, para isso, algumas usam desde remédios até ferramentas arcaicas – não é legalizado, já que esse ato para alguns é um ato de estar matando seu próprio filho. Essa opinião é dada pelas religiões, principalmente a católica, que é definitivamente contra a legalização do aborto.

O fato é que o mercado dos remédios abortivos estão crescendo e gerando problemas para aqueles que são do contra. De acordo com uma pesquisa realizada pela Unicamp (Universidade de Campinas) um dos remédios mais conhecidos que provoca o aborto é o Cytotec, portanto, se você não quer ter um aborto, deve ter cuidado para não tomar esse medicamento. Caso o medicamento não venha a causar aborto ele poderá provocar má formação no feto, fazendo com que o bebê nasça com alguma deficiência.

Outros medicamentos são: Ritalina, Concerta, Provigil, Xenical, Oxicontin, entre outros.