Hino da Independência

Hino histórico que marcou a Independência Brasileira

Nos dias atuais, não é muito comum se escutar o Hino da Independência do Brasil, se for perguntar para alguém, sobre a história ou até a letra, afirmo com total certeza que se 10% dos entrevistados se souber é muita coisa.

Mas para não passar em branco, e o ensinamento sobre a história do Brasil é de extrema importância, até para entendermos o nosso sistema de vida hoje, vamos contar de uma forma informal, um pouco sobre a origem dessa peça musical, ”criada” por Dom Pedro I, há mais dois séculos atrás.

Sobre o Hino da Independência

Dom Pedro I, nas suas andanças por esse Brasil, sempre se mostrou uma pessoa de talento nas artes, e no período em que o Brasil passava pelo processo de independência, onde se livraria das garras de Portugal, o Príncipe Regente do nosso ”Amado Brasil Salve Salve”, aluno do Maestro Marcos Antônio da Fonseca Portugal, começou no aprendizado com o mestre, a criar um estilo musical próprio, e após a proclamação da independência, passou a se dedicar com afinco na música.

Anos antes, o artista, político e livreiro Evaristo de Veiga, que também tinha suas habilidades poéticas, escreveu alguns versos, que foram chamados até pela tensão do período, como Hino Constitucional Brasiliense. A letra desse Hino fez grande sucesso na corte, e o então Professor de Dom Pedro I, Marcos Antônio, compôs uma primeira melodia, que logo ganhou um upgrade do aluno Regente, Príncipe, Dom Pedro I, ficando assim conhecido como o Hino da Independência.

Informação

Fato é que, por muito tempo esse Hino ficou escondido no baú, não sendo tocado em nenhum lugar; e só passou a ganhar certa notoriedade (pelo menos no dia 07 de Setembro), quando o Ministro Gustavo Capanema, em 1930, regulamentou a autoria para Dom Pedro I, acabando com a farra de ser tocado em várias versões.

Letra do Hino da Independência

Já podeis da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil
Já raiou a liberdade,
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.
Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.
Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil,
Houve mão mais poderosa,
Zombou deles o Brasil;
Houve mão mais poderosa
Houve mão mais poderosa
Zombou deles o Brasil.
Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.
Não temais ímpias falanges
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil;
Vossos peitos, vossos braços
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.
Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.
Parabéns, ó brasileiros!
Já, com garbo varonil.
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil;
Do universo entre as nações
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.
Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.

Vídeo do Hino da Independência