Atualizado em: 17 novembro 2008

Angiospermas e Gimnospérmicas

Angiospermas

As Angiospermas ou angiospérmicas (das palavras gregas que significam sementes escondidas), plantas cujo nome mais atual é magnoliófitas, são parte do grupo das plantas com flores (Fanerógamas) – agrupadas na Divisão Magnoliophyta ou Anthophyta, do grupo das Espermatófitas.

publicidade:

As angiospermas conquistaram definitivamente o ambiente terrestre graças ao seu grau de complexidade, diversidade e distribuição geográfica.

É o mais numeroso grupo de plantas atuais, variando de gramíneas a enormes árvores. Existem cerca de 235.000 espécies descritas e habitam todos os tipos de ambientes.

São observados dois tipos de sementes nas angiospermas, com relação ao número de cotilédones. Os cotilédones são folhas modificadas, e se situam próximo ao embrião, na semente. há plantas cujas sementes possuem apenas um cotilédone e outras possuem dois. Assim, dividimos os dois grandes grupos das angiospermas:
– Monocotiledôneas (1 cotilédone) Ex: milho, capim, coco, orquídeas.
– Dicotiledôneas (2 cotilédones). Ex: feijão, amendoim.

Gimnospérmicas

As gimnospérmicas ou gimnospermas (do grego gimnos = nu / sperma = semente) são plantas vasculares com suas sementes desprotegidas(são plantas sem polpa) inseridas em escamas que formam uma estrutura mais ou menos cônica (pinha).

Diferenciando-se assim das angiospérmicas, que têm suas sementes envoltas por um fruto, gerado por um ovário.

As gimnospérmicas já foram tidas como um grupo natural, no entanto algumas descobertas fósseis sugerem que as angiospermas evoluíram de um ancestral gimnosperma, fazendo das gimnospermas um grupo parafilético se todos os táxons extintos forem incluídos.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook